AgronegócioDestaque

Teixeira participa de projeto para desenvolvimento da mandiocultura na região

Na semana em que foi comemorado o dia do agricultor, mais uma atividade de campo marcou o desenvolvimento do PAT da Mandiocultura em Teixeira de Freitas. Foi realizada a implantação de uma área experimental da Embrapa – Mandiocultura e Fruticultura, na comunidade São Sebastião. A área faz parte do estudo para melhoramento da produção.

Teixeira de Freitas tem se destacado regionalmente no fomento à cadeia produtiva da mandiocultura na região Extremo Sul do Estado. O apoio ao PAT da mandiocultura tem sido dado por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com fornecimento de maquinário e operadores, nos tratos culturais com técnicos e mobilização das comunidades rurais.

Segundo o Técnico da Embrapa, Adilsom Barreto – gestor de campos experimentais, foram plantas mais de 60 variedades diferentes para que sejam avaliadas quais as variedades têm melhor desenvolvimento na região. “Trouxemos materiais aqui que vão ser lançados agora em 2020, um material com grande vantagem com relação aos outros, que é a de que ele não apodrece com facilidade, isso vai facilitar muito para as áreas mais distantes e de difícil acesso, que pode fica até dois dias esperando para ser escoada a produção”, explicou o técnico.

Segundo o assessor técnico da Secretaria de Agricultura de Teixeira de Freitas, Kaká Farias, a Secretaria sempre apoia projetos como este. “Sempre apoiamos estes projetos pois essas variedades plantadas hoje, após o estudo, poderão melhorar a produção de mandioca no nosso município. Pois essas variedades estudadas aqui, poderão ser indicadas para os produtores locais, de acordo com os melhores resultados na nossa realidade de solo e clima”, explicou o assessor técnico.

Durante o estudo da área experimental plantada, serão avaliados vários aspectos como produção de raiz, qualidade da raiz, produção de maniva, produção de parte aérea, produção de goma e ponto de cozimento, entre outros.

O Principal objetivo é fazer com que o produtor aproveite a plantação de forma completa, não somente a raiz da planta, para venda e consumo, mas também a parte aérea da planta.

Bruno Vendramini, coordenador de produção da Polímata, empresa que presta serviço para a Suzano Papel e Celulose no projeto, explica que os experimentos implantados vão avaliar o desenvolvimento dos materiais de mandioca da Embrapa. “Assim, nós poderemos avaliar o desenvolvimento da planta e poder indicar aos produtores, materiais específicos para a demanda de cada agricultor”, explicou Bruno.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios