Religião

Santo Cura d’Ars: Dia do Padre terá missa especial nesta quarta-feira 4, em Itamaraju

Os católicos celebram nesta quarta-feira, 4, a memória de São João Maria Vianney, também conhecido como Santo Cura d’Ars. Na mesma data em que se comemora o Dia do Padre. A celebração ocorre na primeira semana desse mês que é dedicada à vocação para o ministério ordenado (Bispos, Padres e Diáconos).

São João Maria Vianney expressou a sua compreensão sobre o que são os presbíteros e o que representam para a humanidade e para a Igreja na frase “o sacerdote é o amor do coração de Jesus”, afirma padre Ronaldo Cardoso responsável pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Itamaraju, que celebra hoje missa especial a partir das 19h em homenagem ao Dia do Padre.

Hoje, na Festa do Santo Cura D’Ars, o bispo da Diocese Teixeira de Freitas/Caravelas dom Jailton Lino diz que padre é sempre a presença carinhosa de Deus no meio das pessoas.

“Padre é o amigo que escuta na hora da dor, compartilha das alegrias, prega a Palavra de Deus e fortalece com os sacramentos. É aquele que conduz a comunidade, ajudando-a a permanecer firme ainda que a realidade seja difícil”, disse.

Padre Ronaldo, que este ano completou 20 anos de ordenação sacerdotal, ressalta que “essas características que sempre marcam a identidade do padre se fazem mais importantes em nossos dias. Em meio a tantas incertezas, inseguranças e angústias, é fundamental ter e ser a presença de alguém que ajuda a perceber a luz em meio às sombras”.

Patrono dos padres

Conhecido e amado como o cura D’Ars, povoado francês, ao norte de Lião, onde exerceu o seu ministério sacerdotal, João Maria Vianney (1786-1859) é daqueles homens aos quais se aplicam as palavras de são Paulo: “Deus escolheu os mais insignificantes para confundir os grandes”.

Este camponês de mente rude, nascido em Dardilly, passara pela tempestade revolucionária e pela exaltada epopeia napoleônica sem sequer perceber. Ou melhor, teve de se esconder por certo período, por haver desertado do exército napoleônico em marcha para a Espanha sem entender a gravidade de seu comportamento, somente porque não conseguia acertar o passo com o seu batalhão.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios