DestaqueSaúde

Especialista elenca 5 dicas básicas para manter a saúde bucal em dia

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil é um dos países recordistas de casos de câncer na boca. Nesse cenário, destaca-se como uma importante oportunidade disseminar conteúdos de saúde e higiene bucal para crianças e adolescentes e conscientizar as pessoas sobre atitudes que podem evitar complicações e doenças mais graves. Para contribuir com a conscientização sobre o tema, o coordenador do curso de Odontologia da Pitágoras Teixeira de Freitas, Bruno Teixeira, define as cinco principais dicas para quem quer manter sua higiene bucal em dia, mesmo durante a quarentena.

Confira abaixo:

1. Fique atento aos sinais: é de extrema importância perceber os primeiros sinais para algumas doenças clássicas, como cáries, disfunções articulares e doenças periodontais. Entre estes sintomas para identificar os sinais, Bruno Teixeira cita estalos na articulação temporomandibular, escurecimento e perda de esmalte dentário acompanhado de placa bacteriana e sangramentos de gengiva.

2. Antes prevenir do que remediar: algumas medidas básicas são suficientes para prevenir as doenças mais comuns. “É indispensável que todos escovem os dentes e a língua pelo menos 3x ao dia e passem fio dental diariamente. As células da língua têm o principal “portão de entrada” para o novo coronavírus (receptor ACE2). Portanto, atenção para a sua escovação! Estes hábitos realmente precisam ser levados a sério, pois têm um impacto positivo a longo prazo e ajudam a evitar complicações, explica o coordenador.

3. Visite regularmente seu dentista: é recomendado que pelo menos duas vezes ao ano as pessoas visitem um dentista de sua confiança para procedimentos básicos de limpeza, além do acompanhamento e identificação de possíveis doenças logo em seu princípio. Por isso, marque na agenda e não deixe que o tempo entre uma visita e outra seja maior do que o período de seis meses.

4. Quarentena não é desculpa: durante o isolamento social, muitas pessoas mudaram sua rotina de alimentação e higiene bucal – mas a realidade deveria ser o contrário. “Alguns consultórios estão fechados, outros atendem apenas em caso de urgência e àqueles que estão abertos, em sua maioria, funcionando com horário reduzido de atendimento e limite de pacientes por turno. Sendo assim, um alerta para cuidarmos, ainda mais, dos nossos dentes e evitarmos complicações”, reforça.

Para aqueles que tiverem uma urgência odontológica e precisarem se deslocar durante a quarentena até um consultório, o “Manual de Boas Práticas em Biossegurança para Ambientes Odontológicos” foi lançado em abril de 2020 a fim de garantir maior segurança nos tratamentos em tempos de pandemia da Covid-19. O conteúdo tem quatro pilares básicos: cuidados a serem adotados no ambiente clínico, pelo cirurgião-dentista, pela equipe auxiliar e pelos pacientes e conta com apoio institucional do Conselho Federal de Odontologia (CFO) e científico do Instituo Latino Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico (ILAPEO) e International Team for Implantology (ITI).

5. Conscientização importa: é muito comum as pessoas se queixarem do medo que sentem de ir ao dentista, porém, entender a relevância de se manter a saúde bucal em dia pode ser uma ótima solução para esquecer a fobia. “É justamente na boca onde a saúde do nosso corpo e o bem-estar geral começa, além de que o sorriso ainda é nosso melhor cartão de visitas”, afirma. “Informação e conscientização são a saída para toda mudança de comportamento”, completa Bruno Teixeira, professor e coordenador do curso de Odontologia da Pitágoras Teixeira de Freitas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios