DestaqueRural

MST adquire caminhão e ônibus para o extremo sul

Trabalhadores Rurais Sem Terra do extremo sul da Bahia receberam nesta semana, um caminhão baú e um micro-ônibus, ambos são conquistas da luta das famílias camponesas da reforma agrária. O caminhão foi adquirido por meio de uma parceria com MST e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), para transportar a produção das famílias dos assentamentos e acampamentos para o comércio na feiras da região.

O objetivo é de fomentar a produção agrícola dos pequenos produtores e auxiliar na logística para a distribuição desses alimentos, além de diminuir custos e ajudar na geração de renda. O caminhão baú vai beneficiar cerca de 1000 mil famílias, sendo destas, em sua maioria chefiada por mulheres.

Já o micro ônibus, é fruto do planejamento da Associação dos Agricultores do Assentamento Bela Vista, para beneficiar tanto no transporte das famílias para os cursos e seminários, quanto da produção dos alimentos para vendas na cidade e feiras. Vitor Passos, da direção regional reforça que a conquista é para todo conjunto do MST, “nesse período de retrocesso, sem projetos e perspectivas para a classe trabalhadora, o MST se desafia a comprar uma ferramenta tão importante como um ônibus, isso mostra o quanto a organização e estratégia são importantes para avançar no processo de luta e transformação da nossa realidade”.

Avanços

De acordo com Paulo Cesar de Souza, da direção estadual do MST, afirmou que todo trabalho gera conquistas e avanços à agricultura familiar da região. “Essa é mais uma conquista para as famílias do MST na região, que vai potencializar escoar toda produção gerada nos acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária, contribuindo levar pra cidade, para as feiras, alimentos sem veneno e agroecológicos. Essa é a nossa principal tarefa de garantir uma qualidade vida para quem vive da terra. Nosso esforço será para ampliar a produção e as condições para que os trabalhadores Sem Terra tenham garantia de comercializar seus produtos com um preço justo”, afirmou Souza.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios